domingo, 28 de outubro de 2012

ANDRÉ, MARCELO E SABRINA

Gosto de falar e escrever sobre pessoas. Esse texto é uma pequena homenagem a três pessoas muito queridas. Falarei um pouco sobre cada uma delas. Sobre como nunca imaginei que amizades virtuais pudessem ser duradouras e significativas.

Nunca acreditei nesse tipo de amizade, achava que o virtual era apenas uma ponte para que num curto espaço de tempo se conhecesse cara a cara a outra pessoa. Mas neste caso específico, os anos foram passando e embora nenhuma possibilidade de um encontro ao vivo e a cores surgisse, os contatos foram se estendendo e fortalecendo-se.

Tudo começou com a febre dos "blogs". Eu tinha e ainda mantenho esse "Borboletas na Janela". O praticamente finado "orkut" tinha comunidades onde blogueiros se reuniam para ler e comentar postagens em blogs de pessoas desconhecidas que mantinham contato apenas por ali. Pra que a brincadeira funcionasse bem, você devia ler e comentar, mesmo os textos que você não curtia nem se identificava, pra ficar uma coisa imparcial. Eu mesmo fazia um esforço descomunal pra ler blogs com temas que não me apetecem de maneira nenhuma, como futebol e política, até por uma questão de respeito. Só que no meio dessa profusão de blogs que surgia, sempre tinha aqueles que me encantavam, dava um prazer imenso ler, tinha um sabor todo especial, era uma alegria!

Entre eles estavam "Histórias do Arteiro" (hoje "Loucos por Cinema"), "Diz que Fui por Aí" e "De Volta ao Meu Eu" respectivamente do André, do Marcelo e da Sabrina. 

O André escrevia exclusivamente sobre filmes. Pra mim, um apaixonado por cinema, um prato cheio. Mas o que tornava especial suas postagens, era a forma simples e amorosa como ele colocava suas impressões sobre os filmes, o que me fez ter uma identificação imediata com sua maneira de sentir as histórias. Lembro que a primeira postagem que li, me chamou a atenção pelas belas imagens das fabulosas atrizes Cate Blanchett e Kate Winslet, esta segunda uma de minhas atrizes preferidas. O texto falava sobre os concorrentes ao "Oscar" daquele ano de 2009. Cate estava em cartaz com "O Curioso Caso de Benjamin Button" e Kate com "O leitor" e "Foi Apenas Um Sonho". Dali em diante não parei mais de seguir o talentoso e criativo André Arteiro, que mora em São João de Meriti no estado do Rio. Já gravou vários vídeos satíricos das estrelas pop internacionais como Lady Gaga, Kesha, entre outras. É enfermeiro (me corrija se estiver errado André). Participou do Vídeo Game da Angélica com o tema Vale Tudo, sua novela favorita, mas infelizmente não ganhou. É muito bem casado. Fã incondicional e fervoroso de Patrícia Marx. Amigo carinhoso, sincero, doce e acima de tudo um guerreiro que apesar das agruras da vida e armadilhas do destino, nunca perde a alegria e nem tira o sorriso meigo do rosto.

Já o Marcelo Antunes é uma "figura". O blog dele me chamou atenção por ser principalmente bem escrito, sempre com uma pitada de humor. Ora ele discorria sobre comportamento como no texto "Martíni com Cereja", ora sobre cinema em "Amigo, estou aqui...", ora atacando de contista com textos recheados de erotismo, como no caso de "Quatro e Vinte" e "Encontro Marcado" para citar apenas dois, por que o cara tem um vasto repertório quando se trata de histórias de sacanagem. Marcelo é assim, bem eclético, inteligente e "palhaço". Mora no Rio de Janeiro. É professor. Adora cinema também. É viciado no facebook. Está a procura de sua cara-metade (não está Marcelo?) e anda bem vagabundo ultimamente pra escrever, faz mais de 3 meses que não atualiza seu blog. Isso sim, é sacanagem.

Enfim Sabrina. Ah, minha doce Sabrina! Ela é romântica, sensível, mãe, esposa e mulher dedicada a tudo aquilo que ama. Quando descobri seus textos num blog romanticamente soturno, me pareceu que passava por uma fase conturbada em sua vida amorosa e ali derramava toda sua dor e anseios (é isso mesmo Sabrina?). Gostei daquela moça corajosa, que expunha seus sentimentos sem medo de parecer ridícula, piegas e insegura. Eu também era um pouco como ela e ao lê-la era como se estivesse lendo um diário íntimo. Deixei de seguir seu blog depois de um tempo por estar em outra vibe, e hoje nem sei se ela ainda o mantém, mas a amizade permaneceu através das redes sociais. Hoje percebo-a em suas fotos e postagens, mais leve, segura e feliz. Parece que a gaúcha Sabrina Silveira Anhaya, minha conterrânea que vive em Passo Fundo, está realizada e plena, e isso me deixa feliz. Sua simplicidade a torna iluminada.

E isso tudo eu sei e sinto, mesmo não os conhecendo pessoalmente, porque acredito sinceramente na máxima de que "os seus se reconhecem". Toda aquela empolgação dos "blogs" já ficou lá no passado, num relativamente distante 2009, onde tínhamos gana de escrever, expondo nossas opiniões, ideias e sentimentos, mas esse desejo de continuar sendo o melhor que pudermos, e continuar mantendo contato pra que um dia possamos nos abraçar, rir e comemorar toda essa tecnologia, que nos uniu de certa forma, permanece.

Um dia eu sei que nos veremos olhos nos olhos e esse abraço será inevitável. Obrigado amigos!

3 comentários:

Marcelo A. disse...

Puxa, Esdras, emocionado aqui...

Bom, me deixa falar umas "poucas" palavras. Digamos que eu navego na web, mais efetivamente, desde 99/2000, quando colocaram internet aqui em casa. Antes, eu era um usuário sazonal. Tive um primeiro contato na universidade e na casa dos meus avós, mas só depois que tive acesso direto é que pude descobrir tudo que a grande rede podia proporcionar. É por isso que eu sou um entusiasta dos mais fervorosos e a despeito do que muitos pregam por aí, eu acredito que sim, é possível se estabelecer relações verdadeiras através da tela do computador. Dia desses mesmo, na escola, eu quase fui massacrado, durante um debate, pelos que acham que a internet empobreceu o português ou roubou os verdadeiros prazeres da vida "offline" ou que criou relacionamentos fugazes e superficiais. Eu não acredito e rebato cada uma dessas afirmações. Mas isso fica pra outro momento. O que quero falar é que, embora muitos reclamem, não tem mais jeito. Ela veio pra ficar. E por mais que torçam o nariz, o tempo que passaremos conectados sempre será maior que o tempo que passaremos desconectados. A internet constitui-se na maior revolução histórica dos últimos tempos, afinal, mudanças de paradigmas levam anos, décadas, muitas vezes até séculos, e essa veio em apenas o quê? Vinte anos? Quinze? Sim, em pouco tempo o acesso à rede mudou o modo do homem viver, lidar com a informação e sobretudo se relacionar. E essa é a graça. Eu tenho amigos que nunca vi, graças à internet, e sempre me pergunto se não fosse ela, como poderia conhecê-los. Amigos com quem converso, divido as alegrias e problemas, assim como faço com muitos que estão aqui do meu lado. E não vejo, sinceramente, distinção alguma entre uns e outros, afinal, essa é a nova configuração dos tempos.

Aquela época dos blogues foi ótima, porque me proporcionou travar contato com pessoas que, de uma forma ou de outra, ainda fazem parte de minha vida. E a troca foi enriquecedora.

Fico feliz por ainda ter contato contigo. E do quanto o admiro. Com seu humor muitas vezes ácido, com seu gosto refinado pra filmes e livros - e isso não foi ironia - e o seu jeito de levar a vida. É gozado ler posts de três anos atrás e admirar o Esdras de hoje. Modéstia a parte, acho que estamos melhorando com o tempo, em todos os aspectos.

Valeu pela homenagem, querido. Fiquei arrepiado aqui.

Um beijo e desculpa o falatório.

Verdades! disse...

Esdras!!!
Que pessoa gostosa você é sabia?!
Gostoso em todas as formas e amplietude da palavra!
É gostoso te ter como amigo...gostoso de ler, gostoso de descobrir a cada linha escrita!
E essa forma carinhosa que você escolheu de lembrar de cada início de uma amizade,mostra o quanto tu és verdadeiro! Lembro que quando criei meu blog estava passando por uma fase realmente complicada,estava desesperada por encontrar uma amizade,sincera,real.E te encontrei nesse mundo virtual.Soube então que seriamos amigos.Pois como você mesmo escreveu"os seus se reconhecem"!
Você soube, sim definir muitissímo bem a Sabrina de antes!Lembro que quando me conheceu um pouco mais chegou a mencionar um alter ego...lembra?Lembro que fui procurar na internet o que significava...hehehehe..e me assustei com o significado,pois pensei na possibilidade de ser realmetne isso! E vou ser muitissimo sincera contigo meu amigo: Amo a vida que construi,mais ainda sou inquieta,na verdade se eu te contasse...teria que te matar...hehehehehehe..mas falando muito sério..ainda vou me abrir completamente contigo,pois acho que entenderia muito melhor a Sabrina duo...
Beijos imensos amigo Esdras...Tenho certeza que o André e o Marcelo ficaram tão encantados quanto eu!Borboletas na Janela é maravilhoso...sempre!E sei que um dia esse abraço acontecerá!

Histórias do Arteiro disse...

Fiquei emocionado, Esdras. obrigado pela homenagem! tb me identifiquei muito com aquele rapaz sonhador e romantico que escrevia textos que falavam de amor e eram tão delicados. Tb vou te levar a vida toda e se amizade virtual existe, com certeza você é um dos meus grandes amigos!