quinta-feira, 26 de março de 2009

AMOR BREVE E SEM DESTINO

Era aquilo que ele queria desde o início.
Desde que começou a sonhar com "príncipes encantados", aos cinco anos de idade.
Desde que se percebeu apaixonado pela primeira vez, aos onze anos, por um colega de classe que repudiava e debochava de seus sentimentos.
Desde a primeira tentativa de um beijo desajeitado e assustado aos quatorze anos, onde o desejo foi atropelado por um medo incontrolável e justificável de ser visto ou descoberto por alguém. Desde que descobriu aos quinze, que o amor pode ser dilacerante, cruel e maldito quando é impossível e não correspondido.
Quando a partir dos vinte e um, chegou á triste constatação que em seu mundo o sexo sempre chega antes da paixão ou até mesmo de um olá.
E quando aos vinte e quatro acreditou ter encontrado o derradeiro amor, pôde sentir que mais cruel do que um amor impossível e não correspondido, é um amor possível não correspondido. Então, numa noite morna e suave, onde menos se esperava, de forma displicente e leve, por algumas horas ele encontrou o "príncipe" que lhe disse todas as palavras pelas quais esperou durante vinte e sete anos.
Lhe deu todos os beijos devagar, sem medos nem sustos.
Lhe disse olá e insinuou a possibilidade de uma paixão, antes mesmo de mencionar sexo.
Foi seu amor possível e correspondido.
Não trocaram e-mail nem telefone, apenas beijos. Longos e molhados beijos.
E carinhos, afagos e toques, fortes e delicados.
Ao despedirem-se, ele usou a frase de um filme que tinha assistindo á poucos dias atrás:
“... Não quero seu telefone, e-mail ou endereço. Se nos encontrarmos de novo é porque era pra ser. Se não nos encontrarmos é pra que tenhamos apenas a lembrança desta noite guardada pra sempre. Apenas uma noite, apenas alguns momentos, pra sempre...”.
E se afastaram pela noite escura e morna, para lados opostos.
Até hoje ele pensa sobre sua decisão.
Teria sido estúpida?
No filme, o casal apaixonado se reencontrava e vivia uma linda história de amor.
Mas, já fazia algum tempo e eles nunca mais tinham se encontrado de novo. Nem no mesmo lugar em que se viram pela primeira e única vez.
Onde ele havia voltado algumas outras vezes, na tentativa de reviver aqueles momentos sublimes.
Não, não se viram nunca mais.
Afinal de contas o amor não é um filme.
Mas aqueles momentos estão guardados e são lembrados sempre.
Ele nunca mais viveu momentos iguais.

-------------------------------------------------------------------------------------------------

Queridos amigos e leitores que acompanham e gostam do meu cantinho, agradeço o carinho e a paciência de todos vocês, mas queria comunicá-los que passo por um momento de crise de inspiração e por isso talvez fique algum tempo afastado daqui, sem postar.
Espero que essa crise passe logo.

Beijos e até mais!!!!!!!!!

30 comentários:

JPSB disse...

Muito legal seu blog...

vc disse q ta passando por uma crise de inspiração.. então lhe desejo força pois suas idéias são muito boas
Parabens...

http://webmaster-jp.blogspot.com/

Inez disse...

Como disse o poeta "Que não seja imortal posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure."
Mesmo que seja apenas por alguns instantes.

Dário Souza disse...

Ahhh eu vi esse filmes

Escrito nas estrelas ne ??

Axo que nao vale a pena tentar fazer da vida um filme, vida como se nao houvesse amanha

Renan Barreto disse...

Eu que queria ter uma crise de inspiração dessa forma. rs Tu escreve muito bem. E meus elogios não são vazios. O conto está bem feito, podia ser maior, mas continua belíssimo.

Campanha eleitoral obrigatória rsrs: VOTA NEU! MELHOR OPINIAO categoria humor! rsrs

Valeu!!!

Felipe Melloso disse...

DE FORMA ALGUMA!!!
Tirei minhas próprias conclusões do Gênero do nome Esdras. Eu que me desculpo!
Estes selos, costumam surgir esta época do ano.
Alguém, resolve criar um selo.
Ex: "Selo DO Esdras"... aí você presenteia alguém com este selo, que simboliza o quanto tal blog lhe agrada. A pessoa que o recebe, muitas vezes deve transmití-lo a quem ela gosta... e assim por diante. No final o que poderia ser um selo bem RARO... se torna comum a todos.
Aí, perto de março-abril, os selos perdem força...
Meu entendimento sober selos, é este.
Abraços

Marcelo A. disse...

Cara, muito legal o seu texto! E a delicadeza com que tratou o assunto... Dez!

Faço minhas as palavras do Renan: queria eu passar por uma crise dessas!

Ah, em relação ao seu comentário... Concordo contigo! E uma coisa te asseguro: a coisa tá preta! Só quem tá dentro da Educação, é que sabe do que falo...

Apareça mais vezes! Forte abraço!

Giullianne Vicente disse...

Relaxa e não tenha pressa, a inspiração surgirá de onde você menos espera.
Gostei muito do blog.

Malandro Metido disse...

Muito foda o texto.

bem escrito e bem ''planejado''

parabens

Floradas de amor disse...

Pela 'lindeza' do nome do blog, pelo texto claro, sensível fiquei na dúvida se não era uma mulher escrevendo, xeretei e vi que não, estou na dúvida se vai gostar do comentário sincero que emprestei de uma letra do Gil:
(...)
Um dia vivi a ilusão de que ser homem bastaria
Que o mundo masculino tudo me daria
Do que eu quisesse ter

Que nada, minha porção mulher que até então se resguardara
É a porção melhor que trago em mim agora
É o que me faz viver
(...)

Boas vibrações sempre!!!

TAIS MOREIRA disse...

Puxa, que história triste, cara...
Espero que vc continue escrevendo textos bons como esse!
Beijos

Rogerio disse...

realmente o amor não e um filme...ta sem inspiração...eus ei que isso...e bom ler..biscar algumas alternativas...boa sorte...

http://verdadesentrementiras.blogspot.com/..

Histórias do Arteiro disse...

Dessa vez, me pegou hein? Fiquei até arrepiado, pois me identifiquei em vários momentos. E foi exatamente aos 24 que vivi o tal do "amor possível não correspondido" e é mesmo o pior de todos, porque parece que você tem a pessoa, que ela será sua pra sempre e de repente.. puff! COm certeza é muito pior que o não correspondido. Ainda bem que depois (bem depois...) me apaixonei e não quis saber de deixar na mão do destino não!!! Agarrei mesmo e sou feliz até hoje!
Valeu mesmo, não para de escrever não, você é muito bom nisso.
Ah, desculpe não ter comentado antes, mas adorei sim a resenha da Martha Medeiros sobre "Foi apenas um sonho". Disse tudo que eu queria falar mas não consegui na minha crítica. Esse filme é foda! Aliás, a parte que ela fala que Leonardo Di Caprio coloca Brad Pitt no bolso foi demais. Realmente, ele é um dos melhroes atores do cinema e depois da super exposição por causa de "Titanic" as pessoas criaram uma barreira e não enxergam seu talento... Pena.
Falei demais... Até a próxima!

Floradas de amor disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Floradas de amor disse...

Mto querido vc! =D
Qnto a coincidencia, olha soh:

'A coincidência é muito mais do que o significado que o ser humano a atribui, ela não é apenas uma “simultaneidade eventual” como os dicionários costumam descrever, ela vem diretamente da vida, do cosmos, do universo'

Tah certo que foi uma descriçao exagerada para uma 'coincidencinha' t~~ao pequena =) que foi a nossaaa, mas eh que mtas vezes sou exageradaa, na verdade, mais escrevendo do que agindo no dia dia =D

Beijoss e um otimo FdS!!!
=*

TAIS MOREIRA disse...

Eu já comentei aqui, mas vou comentar de novo, ok?^^hehehe
Mais uma vez, adorei o texto, continue escrevendo assim, beleza?
Beijos

Cáah disse...

como assim,crise de inspiração?
vc ta mandando super bem,
it's not possible.
rsrs

boa sorte!!!

Antonoly disse...

Todos passamos por crises criativas, o negócio é não dar muito valor a isso, pois passa.

Ailton Sobrinho disse...

O que é o amor?! Na era dos relacionamentos fast-food, acho que é até complicado afirmar que haja sentimentos, amor verdadeiro entre as partes... Amor, realmente, se tornou algo completamente abstrato... A cada dia mais difícil de se 'experimentar'...

Laura Gelbecke disse...

vc escreve mto bem, parabéns!

Vanda disse...

Sucesso ao seu bloguinho!

abracos

DEIVID FRANÇA disse...

Muito bom o texto.Talvez sejá por isso mesmo que vão direto ao "ponto".Eu particulamente já passei por isso de amar e não ser correspondido, Porem tenho minha cabeça no lugar e RESPEITO sempre em 1º Lugar ;)

Jéssica Modinne disse...

Minhas crises de inspiração podiam ser tão inspiradoras quanto as suas...

Obrigada por comentar no Hoppípolla, "volte sempre". ^^

Isabel Leon disse...

Sensível.
Buscar o amor no sentido de relacionamento entre duas pessoas, e encontrar esse amor é, consciente ou inconscientemente, o sonho de todos.
O amor só é duro porque o idealizamos, enchemos com nossas mais mirabolantes fantasias e desejos e esperanças do felizes para sempre.
Mesmo assim, não desista do amor, nunca, em todas as suas formas, de todas as maneiras.

Falando do filme, é aquele com o John Cusack e a Kate Beckinsale?
Tenho uma relação de amor e ódio com comédias românticas que idealizam o sentimento e fazem todo tipo de relacionamento parecer menos glamuroso, profundo, destinado a ser.

Boa sorte, tanto na sua busca pelo amor quanto pelo reencontro com a inspiração.

Abraços
Isabel Leon
www.grupomaos.com
Questionando a mente para elevar a alma...

Gisela Melloso disse...

Não acho que vc deva para, poxa olha o texto que escreveu agora, fala de amor, de se perder, se sentir, de achar, de confundir e depois se encontrar novamente, fala de viver a coisa boa para sempre... Aqui deve ser sua coisa boa po!!!

Não suma ok??

Obrigado pela visita
Forte abraço

blog boca de gamela disse...

Espero que a sua falta de criatividade acabe logo..

pois seu texto foi otimo.

eroticromanticvaniamara disse...

Romântico até num tornado em plena fúria.. rsrs. Parece mesmo um filme.
E se está sem inspiração, que se cuidem os grandes escritores.Amei, continue escrevendo Esdras please!!f

Amélie disse...

caracas!
to beeege!!!!
Tenho pressa em encontrar esse verdadeiro sentindo...já vivi paixoes assim e nunca mais nos encontramos, até que chega um dia que o pensamento vai diminuindo as forças e a magnitude da realidade chega logo, acabando com o nosso clima de cinema....mas eu ainda acredito que O amor é filme!
beijos!!!!

Suellen Nara disse...

Minha vida amorosa inexiste
Talvez ele me amava e por isso não nos encontramos desde então...
Eu amo alguém que não me ama
Alguém me ama mas eu não amo
Nós nos amamos mas nao podemos ficar juntos
Não amo ninguém
Tive alguém
Cansei de esperar
Talvez o amor venha quando eu tiver 70 anos
Ah, tanto faz...

Valeu por visitar o Equilibrio Bambo. Toni Braxton é show de bola ;)

Michel Domenech disse...

Que texto agradável de se ler! =]

Talvez tais lembranças tenham se mantido puras e inapagáveis devido a esse único encontro, pois sabe-se lá o que ocorreria se eles tivessem namorado, por exemplo, ela poderia descobrir inúmeros defeitos para ela intoleráveis que acabarim por eclipsar todas as qualidades de seu amante. E as lembranças hoje em dia seriam diferentes, isso se ela ainda pensasse nele.

Eu tenho mesmo um visão meio pessimista dessas coisas hehehehe
mas é realmente possível que dê certo, creio nisso, só é bem mais fácil dar errado do que certo.

Desculpe pela propaganda que virá a seguir, pois não costumo fazer isso, mas escrevi sobre o amor no último post do meu blog, aí caso queira ver est´aqui o convite. =]

Histórias do Arteiro disse...

Volta, Esdras!!!!