segunda-feira, 17 de maio de 2010

DICA DE FILME

Cerca de 2 meses atrás, ao conferir a programação de cinema no jornal à procura dos horários de algum filme do Oscar, me deparei com a sinopse de um filme que nunca tinha ouvido falar, por não ter tido nenhuma divulgação em mídia. Achei a sinopse interessante e resolvi conferir.Eu que estou sempre garimpando novidades, não me decepcionei. Ao contrário fiquei apaixonado.

O filme Á MODA DA CASA é uma comédia rasgada e deliciosa, com algumas pitadas de drama. Fazia muito tempo que um filme cômico não me arrancava tantas gargalhadas. Dei muitas risadas, daquelas fortes, de perder o fôlego e os olhos lacrimejarem.


O filme espanhol do diretor Nacho G. Velilla, atende pelo título original de FUERA DE CARTA e conta a história de Maxxi, um chef de cozinha meio histérico, dono de um elegante restaurante, obcecado para ganhar uma estrela no guia Michellin e muito bem resolvido com sua homossexualidade. Até a morte inesperadamente de uma ex-mulher, que lhe deixa um casal de filhos para criar, o adolescente e rebelde Edu e a pequena e esperta Alba, frutos de um casamento equivocado. Para entornar ainda mais o caldo, Maxxi inicia um romance com seu novo vizinho, um ex-jogador de futebol enrustido, por quem a tresloucada maître de seu restaurante e melhor amiga se apaixona e tenta seduzir à qualquer custo, sem nem sonhar com o caso dos dois.


O filme com todos os ingredientes de um dramalhão mexicano, como já mencionei tem apenas pitadas desse gênero, pois te deixa com dores no estõmago de tanto rir. Claro que é tudo meio exagerado, pintado com cores fortes, bem ao estilo latino-europeu. Mas tudo funciona à perfeição, interpretações, produção, direção, é tudo ótimo. Com um elenco de atores espanhóis bastante expressivo capitaneado pelo magnífico Javier Cámara (o enfermeiro Benigno de FALE COM ELA) não poderia ser diferente. Javier, aliás, ganhou o festival de Málaga 2009 como melhor ator por este filme. Prêmio super merecido. Em diversos momentos do filme, Javier, com seus trejeitos e histerismos me lembrou Tony Ramos em SE EU FOSSE VOCÊ. O tom de humor da película, também lembra bastante as hilárias novelas de Sílvio de Abreu da década de 80 CAMBALACHO e SASSARICANDO. Enfim, um prato cheio pra quem quer simplesmente desopilar o fígado. Corra até a locadora mais próxima, sirva-se e delicie-se!!!

Um comentário:

Rogerio disse...

o filme parece ser bom...vou querer assistir ...para conferir...