quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

INSÔNIA

Madrugada. Três horas e seis minutos.
Não é bem insônia de verdade, transformou-se já em um costume, dormir sempre depois das três. Decididamente um notívago.
Paula Toller, com sua voz sublime de seda pura embala os poucos minutos que faltam pra que me entregue definitivamente aos "braços de morfeu".
O dia foi terrivelmente quente, mas agora a chuva cai furiosa e vingativa sobre a cidade. Com tanta força que parece rasgar a escuridão como um punhal de gume letal, acompanhada de raios e trovoadas, parece berrar em meus ouvidos um ódio chamejante.
Ódio?
De quem? Por que?
Não sei. Talvez meu coração esteja sobrecarregado. Já não sei se falo mais coisa com coisa, afinal já são três e vinte e seis. O sono já turva os meus sentidos.
Só queria falar um pouco da chuva, da música e dos sonhos, mas os sonhos foram sequer mencionados.
Claro que não, ainda não dormi!!!!!!!

Um comentário:

strawberry disse...

tbm sofro com elas...e o pior que é de graça mesmo e até os melhores pensamentos ela afasta da gente por um momento...
mil bjuxx!!!