terça-feira, 14 de outubro de 2008

AQUELE TEMPO QUE NÃO VOLTA MAIS

Para Fernanda e Amanda

Nos primeiros dias, semanas e meses foi difícil, doloroso até, a saudade era cortante, tantos momentos compartilhados e de repente, tudo tinha chegado ao fim. Restava então, apenas as lembranças. Lembranças de sorrisos, gargalhadas, olhares maliciosos q diziam tudo qdo ñ podíamos verbalizar, gestos e sinais q só nós entendíamos, os palavrões mais cabeludos q a gente só falava dentro de casa, ou em público, mas bem baixinho pra ñ escandalizar aqueles q achavam q éramos puros e inocentes (hahahahaha). E como era bom falar aqueles palavrões né? As festinhas dadas no quintal de casa; as pizzarias; os barzinhos; os videokês; as reuniões nas casas de amigos, alguns q nem eram tão amigos assim, mas a gente aproveitava o momento e mtas vezes ainda saía falando mal e tirando sarro dos anfitriões (q uó!!!!!). Os telefonemas pra ficar só falando besteira; os momentos mais intimistas qdo ficamos só os três ouvindo música deprê ou assistindo um filme no video-cassete (ainda ñ existia o dvd), depois comíamos aquele struddel maravilhoso de frango ou presunto e queijo, e eu parecendo um esfomeado; as danças enlouquecidas ao som do abba no meio da sala. Os apertões; os abraços; os carinhos nem sempre demonstrados fisicamente, mas por um gesto, um olhar, uma palavra doce. O ciúme dos namorados q ñ suportavam uma amizade tão escancaradamente íntima (eles nunca entenderiam); a cumplicidade silenciosa; as sessões de cinema; as opiniões sobre roupas, sapatos, cortes de cabelo; o consolo pela dor de um amor ñ correspondido; os casamentos; o senso de humor ácido e irônico q nos era tão peculiar e até as discussões, quase sempre sem mta importância.
São mtas lembranças. Toneladas de recordações e uma saudade q o tempo foi cicatrizando aos poucos, mas q em determinados momentos lateja, ñ deixando esquecer q as cicatrizes são eternas, assim como a própria saudade q neste exato momento lateja, lateja, lateja...

4 comentários:

Bruna disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruna disse...

Sei bem como são essas cicatrizes de saudade que nos latejam, as vezes, durante a vida toda né? Principalmente daqueles amigos tao queridos e que foram tao presentes em algum momento de nossa vida...
Me identifiquei mto!
Só o "derrepente" não ficou legal...
hauhauhauhau
beijão da Bru

juliana disse...

Eu amei... o que você escreveu para a Fernanda e a Dani... em certos trechos me lembro de alguns momentos que eu já passei com meus amigos. E você sabe transmitir os teus sentimentos de uma forma simples mas sofisticada ao mesmo tempo. Você com certeza meu bem têm futuro!!!

BjOoOo Juh

eroticromanticvaniamara disse...

Esdras..muito bom mesmo adorei.É uma sensação interessante esta que se tem enquanto se le, é como se estivesse ouvindo vc pessoalmente.
E tb tive a visão das cenas, riqueza de detalhes que bem provavelmente se estivesse presente talvez não notaria com tanta clareza.