quinta-feira, 23 de outubro de 2008

LAÇOS DE SANGUE VERSUS LAÇOS DE AMOR

Não é uma questão de escolha, ou vc ama ou ñ ama, a única coisa absolutamente imprescindível é o cultivo. Cultiva-se plantas, flores e amores, esse talvez o mais importante. Tem pessoas q ñ gostam de plantas, nem flores (poucos acredito eu), mas sem amor quem consegue viver?
Falo de um amor maior, universal, transcedental, incondicional. Um amor q nada tem a ver com romance, namoro, sexo. Um amor mais forte q os laços sangüíneos, pq a biologia ñ influi em nada os nossos sentimentos.
Ama-se a mãe ñ por que ela ela te gerou, (afinal vc nem tinha consciência de q estava vivo nesse período), mas pq ela te alimentou, te deu banho, carinho, contou histórias, deu beijo antes de dormir, te levou no parquinho, aliviou suas dores (de barriga, ouvido, dente), te vestiu com as melhores roupas, se preocupou com seus estudos, com a formação de seu caráter e com sua felicidade. Cultivou dia a dia um amor incondicional.
Ama-se um pai pela força e a ternura q ele consegue transmitir através de atitudes dignas, honestas e claras. Por aquele braço forte q te pegou e colocou na "cacunda" brincando de cavalinho, pelos presentes trazidos daquela viagem, ñ pelos presentes em si, mas sim pela lembrança. Ama-se um pai qdo ele ñ demonstra vergonha em deixar as lágrimas caírem e assume q apesar de ser o chefe da casa é frágil e tbm fraqueja de vez em qdo, e ainda assim com todas as suas fraquezas parece um herói pra vc, vc sente orgulho em chamar esse homem de pai. Ama-se um pai qdo ele aceita vc do jeito q é, ñ impõe suas vontades, mas sim analisa, pondera e compreende q o filho eh um ser humano e ñ um boneco de argila moldado segundo seus próprios desejos. Cultiva assim um amor mtas vezes frágil e delicado, mas q pode tornar-se forte e denso por toda uma vida.
O amor pelos primos surge de uma convivência desde a infância, regada a mamadeiras, brigas por brinquedos, choros, implicâncias, descobertas mil, estende-se pela adolescência, onde os laços se intensificam, aí aparecem os segredinhos, namoricos, baladas, primeiros porres, primeiras decepções e frustrações compartilhadas, lágrimas e soluços amparados por um abraço afetuoso repleto de um amor q durará pra sempre, pois foi cultivado pelas lembranças mais ternas.
E assim é com tios, avós, irmãos e todos q são sangue do nosso sangue. Não adianta ser parente, é preciso estar presente de alguma forma, fazer-se presente, ter o forte desejo de disseminar o carinho, o afeto, a ternura no coração de quem vc quer q o ame. Se ñ pode estar por perto todo o tempo ou só de tempos em tempos, telefone, mande carta, e-mail, postal. Demonstre q vc quer mto aquele amor e q tem mto amor pra dar. Mas faça isso logo, antes q seja tarde demais.
Os amores da minha vida sempre foram intensos, e verdadeiros, mas nem sempre tive a sorte de ser cultivado por eles, por alguns sofri, por outros nem tanto. Tive uma infância solitária, meus únicos amores eram meu pai e minha mãe e ñ demorou mto pra q desconfiasse desse amor de pai. Era uma relação delicada, complicada, estranha até. Um pai sentir ciúme do filho com a própria mãe, no mínimo um sinal de loucura, demência ou qualquer coisa do tipo.
Sim, tive o braço forte me colocando na "cacunda" pra brincar de cavalinho, mas ñ tive o homem firme e terno de atitudes dignas e honestas, tive os presentes, mas ñ tive o herói, aquele pelo qual me orgulhar, ñ tive o pai q me aceitou do jeito q eu era. O cordão q era frágil se arrebentou. O q no início era uma desconfiança hoje é uma certeza, posso sentir pena, carinho, um tantinho de afeto, mas amor...
Temos o mesmo sangue e pra mim isso ñ significa nada.
Primos, tenho aos montes, tios tbm. O que sinto por eles? qualquer coisa, menos amor, simplesmente pq eles ñ me cultivaram, o sangue ñ sente nada, apenas corre pelas veias, enquanto o coração pulsa frenéticamente, sentindo quem de verdade nos ama e retribui a altura.
Amei e amo profundamente pessoas q encontrei pela vida e que ñ tem nem sequer uma gota do meu sangue, essas me proporcionaram momentos de intensa alegria, ternura e amor. Um amor q ñ se escolhe nem se impõe, simplesmente florece, regado por afeto, atenção, cumplicidade, interesse e uma vontade enorme de estar junto mesmo a quilômetros de distância.

3 comentários:

eroticromanticvaniamara disse...

Olha só Esdras , neste texto o que eu percebi( lembre de que a minha crítica se é que se pode dizer assim, é meramante uma expressão sincera de quem ve do lado amador)ficou meio vago um tema que começou forte e depois foi se dispersando, e aí você retomou mas já não veio com tanta força. Deu a impressão de que precisava desabafar.
Mas em resumo eu gostei muito principalmente por que é um tema comum de nós seres mortais.

nadege disse...

Edras
neste texto vc expressa um dos mais nobres sentimentos o amor...vc tb demosntrou de certa forma o espelho de uma mãe amorosa a verdadeira mãe e o de um pai exemplar...sendo este ultimo um desabafo que remete ao sentimento de uma certa revolta interior, devido a uma decepção que muitos de nos enfrentamos ...muito sucesso vc merece!! bjs

Bruna disse...

adorei querido!
minha prima tava aqui junto e adorou tb.
Acho que todas as pessoas se encaixam, claro q cada uma da sua forma, nesse tema.
Beijosss