sábado, 25 de outubro de 2008

PAVOR DA SOLIDÃO

Falar de solidão é complicado, pode ser encarado por um lado positivo ou negativo. Particularmente prefiro encarar sempre pelo lado positivo, sou totalmente defensor do velho ditado "antes só do que mal acompanhado", por isso tenho mta dificuldade em compreender pq algumas pessoas tem verdadeiro pavor da solidão, e pra ñ se sentirem solitárias são capazes de cometer verdadeiros absurdos. Conheço mtas pessoas assim q se submetem a relacionamentos mornos, alguns gelados até, por ñ suportar a simples idéia de estarem sozinhos.
Tem o caso de um casal q é nítida a falta de afinidade entre os dois, um tem cultura, é super inteligente, tem o gênio forte, é caseiro, diz ser fiel e parece comandar a relação, enquanto q o outro, cultua o corpo, parece um pouco desprovido de inteligência, ñ se interessa mto por assuntos culturais, é chegado numa balada forte, trai, pede perdão e tudo continua igual.
Outro casal vive um relacionamento desgastante e abusivo. Se agridem física e verbalmente, gritam, esperneiam, quebram coisas, traem-se mutuamente, mas ñ se separam.
Nesses dois casos, será q ambos os casais estão juntos por amor? Não creio, aposto no medo da solidão. Essa idéia fixa q quase todos temos de arranjar um(a) parceiro(a) urgentemente, custe oq custar, ou então morreremos secos, sozinhos, sem ninguém, causa um pânico coletivo nas pessoas. Um pânico tão grande q é capaz de levar alguém a trocar de parceiro todas as noites, sem nenhum critério, como aconteceu com outro conhecido. Ele entrou num desespero tão grande após o término de um relacionamento já conturbado, q saía a procura de sexo e companhia nas noites frias e bem escuras da cidade onde mora, e se submetia a cada ser-humano difícil de acreditar. Tudo isso em troca de um carinho, de um olhar q pra ele significava mto, mas pra outra pessoa era só uma noite, aí nascia o dia e ele caía na dolorida realidade q criara, e qdo vinha a noite começava tudo outra vez. Uma degradação q acredito eu, continua até hj. Se ele é feliz? Se consegue aplacar a solidão com essa rotina noturna? ñ sei, mas desconfio q ñ.
É lógico q é maravilhoso ter alguém do lado dia a dia, ter uma companhia agradável pra todas as horas, poder contar sempre com aquela pessoa, ñ ser apontado como solteirão, encalhado, ter com quem dormir juntinho, saber tudo daquela pessoa, conhecer ela de cor e salteado e todas as delícias e agruras de uma relaçaõ a dois, mas a que preço?
Até qdo suportaremos traições, desilusões, decepções, agressões? Até qdo vamos abrir a mão de tudo oq realmente desejamos? Queremos tanta coisa, sonhamos, idealizamos tanto, esperamos paixão, romance, alguém q acima de tudo nos admire, q venere nosso caráter de forma ponderada mas encantada e no fim cedemos a esse pavor mórbido da solidão. Nos entregamos a paixões fugazes e jogamos nossos ideais no fundo gaveta, e se demorarmos mto pra tirá-los de lá a traça pode comer. Então num determinado momento descobre-se q estamos mais sozinhos do q nunca, embora acompanhados, e essa é a mais cruel e dilacerante solidão, pq está alicerssada sob o medo.
Oq é necessário entender com a máxima urgência é q solidão ñ é e nem precisa ser sinônimo de tristeza, depressão, vc ñ ser uma pessoa interessante, nada disso. Sei de pessoas interessantíssimas q são solitárias, ñ vivem rodeada de amigos nem pretendentes e são felizes, alto-astral, curtem a própria companhia, sabem apreciar o prazer de um bom vinho, preparam aquele prato especial pra matar a própria vontade, reconhecem o valor de assistir um filminho gostoso sem nenhum chato do lado pra botar defeito, viajam sozinhos aproveitam horrores, vão ao teatro, restaurantes, parques, andam de bicicleta, tomam sorvete, riem, choram e se aceitam plenamente assim como são, os solitários, estão por aí aos montes, e esses continuam firmes, com seus ideais, sonhando, a procura de paixões intensas, profundas, romances duradouros como diamantes. E enquanto ñ encontram ñ se desesperam pq sabem q são bons demais pra algumas pessoas e o único pavor q sentem é de perder o amor-próprio, isto sim, a pior das tragédias.

4 comentários:

Bruna disse...

AMEIIII
esdras, não sei se é porque me identifiquei completamente com o texto, mas pra mim, é o melhor já postado aqui. Por isso não para de escrever! Quanto mais tu fizeres isso, melhores teus textos ficarão!
Um super beijooo

eroticromanticvaniamara disse...

Esdras, penso que quanto mais conhecemos um assunto muito melhor podemos falar deles, o assunto solidão parece ser assunto para muitas páginas.
Eu gostei Esdras!

dulcemivida disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
dulcemivida disse...

Esdras tu escreve muito bem conitnue assim :) que vc vai longe e nunca desista dos seus sonhos

Abraços

Tassius